Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 23 de junho de 2009

SILVIO SANTOS ESTÁ DANDO GELO EM GUGU LIBERATO, DIZ JORNAL


SBT e Record parecem estar brincando de fazer trocas. Roberto Justus e Eliana já assinaram com Silvio Santos. Enquanto isso, Gugu Liberato negocia com a Record. De acordo com a coluna “Zapping”, do jornal “Agora São Paulo”, o “dono do Baú” está dando um gelo no apresentador. Além disso, Silvio teria ficado de fazer uma contraproposta, mas, até agora, nada foi feito. Ainda em negociações de mudança da Record para o SBT está o jornalista Celso Freitas. Segundo a coluna, ele passou o dia todo em reunião na Record. Na próxima semana, o âncora deveria dividir a bancada do “Jornal da Record” com Ana Paula Padrão. O olho de Silvio Santos também estaria em Ana Hickmann e a turma do “Pânico na TV”. No caso dela, o contrato segue até 2014 na Record. Já a galera do “Pânico” teve mais reuniões ontem. De acordo com a publicação, os humoristas preferem continuar na Rede TV!

VIRGILIO ACUSA AGACIEL DE CHANTAGEM E CRESCE PRESSÃO SOBRE SARNEY


BRASÍLIA - Pela terceira vez em menos de uma semana, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu-se publicamente de denúncias envolvendo seu nome e de sua família em irregularidades e uso indevido de recursos públicos. Em plenário, o ex-presidente da República negou que a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), sua filha, mantivesse um funcionário da Casa como seu mordomo, no Maranhão, e reafirmou desconhecer a existência de atos secretos administrativos. A pressão de senadores a Sarney pela punição de servidores públicos e senadores envolvidos em irregularidades aumentou, mas são poucos os parlamentares que pedem que os responsáveis sejam afastados, demitidos ou que percam o mandato.
Com uma postura defensiva, Sarney não anunciou demissões nem punições a funcionários e ex-diretores do Senado acusados de corrupção. O pemedebista tentou esquivar-se de denúncias contra seu afilhado político, o ex- diretor-geral Agaciel Maia, um dos principais responsáveis pela edição dos atos secretos da Casa e, mais uma vez, quis dividir o ônus com outros senadores. " Recebi um abaixo-assinado de quase todos os senadores da Casa, pedindo que nomeasse Agaciel Maia " , disse. Ele lembrou que os outros presidentes da Casa mantiveram o diretor.
Presidente da Casa pela terceira vez, Sarney disse que " ninguém teve maior surpresa " do que ele quando soube da existência de atos administrativos secretos que permitiram a nomeação, por exemplo, de parentes seus no Senado. Na semana passada, o chefe do serviço de publicação do boletim de pessoal do Senado, Franklin Albuquerque Paes Landim, afirmou que a não publicação dos atos era ordem de Agaciel e de João Carlos Zoghbi, ambos ex-diretores indicados por Sarney. " Nunca, ao longo da minha vida, fui acusado de acobertar quem quer que seja, por maior ligação que tenha " , disse. " Julguei que eu fosse eleito presidente para usar e presidir politicamente a Casa e não para ficar submetido a procurar a despensa ou a limpar o lixo das cozinhas da Casa " .
Pouco depois que Sarney deixou o plenário, Cristovam Buarque (PDT-DF) sugeriu que o presidente da Casa se licencie do cargo por dois meses, para que as denúncias sejam apuradas. Mas sua proposta teve pouca repercussão entre os senadores. Até mesmo o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), que usou ontem a tribuna do Senado para pressionar Sarney, desconversou e classificou a ideia de " ousada " .
Senadores cobraram ações de Sarney, como a demissão de Alexandre Gazineo, diretor da Casa, e medidas de combate às irregularidades. " Alguma coisa precisa ser feita " , disse Pedro Simon (PMDB-RS). " Estamos no fundo do poço " . Arthur Virgílio ocupou a tribuna ontem por quase toda a tarde para falar estava sendo chantageado por Agaciel Maia para que não continuasse com denúncias e chamou-o de " ladrão " . Hoje a direção do Senado deve definir quais as medidas serão tomadas sobre os atos secretos. O senador Heráclito Fortes deverá entregar relatório com todos os atos secretos, em reunião da mesa diretora.
O blog do jornalista Ricardo Noblat trouxe nova denúncia contra Sarney, que teria mais um afilhado político na folha de pagamento do Senado: Raimundo Nonato Quintiliano Pereira Filho.
Pereira Filho é funcionário do gabinete do senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA). Ganha em torno de R$ 3,2 mil mensais, segundo Lobão Filho. Mas não dá um único dia de trabalho no Senado, de acordo com o blog do Noblat.
Ele é diretor da Fundação José Sarney, em São Luís. Preside ainda a Associação dos Amigos do Bom Menino, ligada à Fundação.