Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 29 de março de 2011

DENGUE - TRANSMISSÃO FÁCIL, COMBATE DIFÍCIL

PISCINA TOTALMENTE PROPISIA AO MOSQUITO, E MAIS GRAVE SEM TRATAMENTO E EM GRANDE REGIÃO DO BACURI

LOCAL DA EXTALAÇÃO DE BOMBA E FILTRAGEM SEM FUNCIONAMENTO E COM BASTANTE AGUA
Defesa Civil de Imperatriz vai entrar na campanha de prevenção contra a dengue, garante o superitendente Francisco das Chagas (Chico Planalto), o mesmo informou que hoje terça feira (29) enviou oficio a secretária de saúde Dra Conceição Madeira solicitando treinamento por parte da coordenação de vigilancia epidemiologica para os agentes da Defesa Civil, ação essa qual vai possibilitar os mesmo fazerem um trabalho de consientização junto aos moradores proprietarios de empresas, residencias, bares e similares.


Os Agentes em Defesa Civil de Imperatriz adentro em cerca de 15 imoveis diarios na cidade de Imperatriz, sendo empresas, comercios de variados modalidades e residencias, somando se semanalmente cerca de 75 imoveis, "As pessoas estão mais conscientes quanto ao combate ao mosquito, mas muitas ainda não sabem que bandejas de geladeira e do ar-condicionado são ótimos criadouros do Aedes aegypti".

"O combate a dengue é dever de todos e vamos fazer aquilo que a Defesa Civil faz em todo o mundo, prevenir e ajudar as pessoas e o governo a combater esse mosquito. É preciso também mais conscientização das pessoas. Vejo ainda muita gente deixar acumular água em casa, exemplo foi essa foto acima qual nos motivou a dá nossa parcela de contribuição” finalizou o superintendente municipal da Defesa Civil.

MORRE, AOS 79 ANOS, O EX-VICE-PRESIDENTE JOSÉ DE ALENCAR (PRB)

O ex-vice-presidente da República José Alencar morreu nesta terça (29), às 14h41, por falência múltipla de órgãos, aos 79 anos, no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. O político mineiro lutava havia 13 anos contra um câncer na região do abdômen. Na última das várias internações, Alencar estava desde segunda (28) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio Libanês, em São Paulo, com quadro de suboclusão intestinal. O ex-vice-presidente lutava contra o câncer havia 13 anos, mas nos últimos meses, a situação se complicou. Após passar 33 dias internado – inclusive no Natal e no Ano Novo –, o ex-vice-presidente havia deixado o hospital no último dia 25 de janeiro para ser um dos homenageados no aniversário de São Paulo. A internação tinha sido motivada pelas sucessivas hemorragias e pela necessidade de tratamento do câncer no abdômen. No dia 26 de janeiro, recebeu autorização da equipe médica do hospital para permanecer em casa. No entanto, acabou voltando ao hospital dias depois. Durante o período de internação, Alencar manifestou desejo de ir a Brasília para a posse da presidente Dilma Rousseff. Momentos antes da cerimônia, cogitou deixar o hospital para ir até a capital federal a fim de descer a rampa do Palácio do Planalto com Luiz Inácio Lula da Silva. Ele desistiu após insistência da mulher, Mariza. Decidiu ficar, vestiu um terno e chamou os jornalistas para uma entrevista coletiva, na qual explicou por que não iria à posse e disse que sua missão estava “cumprida”. Na conversa com os jornalistas, voltou a dizer que não tinha medo da morte. “Se Deus quiser que eu morra, ele não precisa de câncer para isso. Se ele não quiser que eu vá agora, não há câncer que me leve”, disse.


BATALHA CONTRA O CÂNCER


O ex-vice-presidente travou uma longa batalha contra a doença. Nos últimos 13 anos, enfrentou uma série de operações e tratamentos médicos. Foram mais de 15 cirurgias. Em abril de 2010, desistiu da candidatura ao Senado para se dedicar ao tratamento do câncer. Desde 1997, foram mais de dez cirurgias para retirada de tumores no rim, estômago e região do abdômen, próstata, além de uma cirurgia no coração, em 2005. A maior delas, realizada em janeiro de 2009, durou quase 18 horas. Nove tumores foram retirados. Exames realizados alguns meses depois, no entanto, mostraram a recorrência da doença. Também em 2009, iniciou em Houston, nos Estados Unidos, um tratamento experimental contra o câncer. Alencar obteve autorização para participar, como voluntário, dos testes com um novo medicamento no hospital MD Anderson, referência no tratamento contra a doença. O tratamento não surtiu o efeito esperado e o então vice-presidente voltou a fazer quimioterapia em São Paulo. José Alencar era casado com Mariza Campos Gomes da Silva e deixa três filhos: Josué Christiano, Maria da Graça e Patrícia.

Fonte : G1

TRAGEDIA E QUESTIONAMENTOS SOBRE A CRUELDADE NA MORTE DE IRMÃS ADOLESCENTES


O assassinato de duas irmãs chocou uma cidade do interior de São Paulo. As jovens de 15 e 17 anos estavam desaparecidas desde quarta-feira. Os corpos foram encontrados nesta segunda-feira num matagal. A polícia investiga a motivação do crime e as circunstâncias das mortes. Um matagal, em um sítio de difícil acesso. Este foi o local que os corpos das irmãs Josely Laurentina de Oliveira, de 17 anos, e Juliana Vânia de Oliveira, de 15, foram encontrados por cães farejadores. O desaparecimento das meninas na semana passada mobilizou polícia civil, militar, bombeiros e a população da cidade. Cunha fica a 230 quilômetros de São Paulo. Os moradores nunca tinham visto nada parecido. Há marcas de corte no pescoço das vítimas. A suspeita é de que o crime tenha sido cometido por mais de uma pessoa. As adolescentes estavam desaparecidas desde a quarta-feira, do dia 23 de março. A última vez que elas foram vistas foi num trecho em que elas desciam do ônibus escolar para ir a pé até a casa delas. O caminho tinha cerca de dois quilômetros. O pai esperava as meninas num cruzamento próximo do ponto de ônibus. Em choque, a família deixou a casa onde mora, na zona rural de Cunha.

CIRURGIÃO PLÁSTICO MORRE EM SAUNA GAY

DE ACORDO COM A POLÍCIA, VÍTIMA TERIA IDO PARA UM DOS QUARTOS COM UM GAROTO DE PROGRAMA E PASSADO MAL APÓS O ORGASMO

O Instituto Médico Legal (IML) investiga as causas da morte do cirurgião plástico Eduardo Ramalho, de 56 anos, morto na noite do último sábado (26) em uma sauna gay no bairro da Glória, zona sul do Rio de Janeiro. O corpo já foi submetido a uma necropsia e passa por exames para detectar se há a presença de alguma substância que possa ter causado o óbito do médico. De acordo com o delegado titular da 9ª DP (Catete), Pedro Paulo Pontes Pinho, o cirurgião plástico estava no estabelecimento voltado ao público homossexual quando conheceu um garoto de programa da casa e se dirigiu a um dos quartos para fazer sexo. Segundo a polícia, o garoto de programa relatou em depoimento que Eduardo Ramalho passou mal após o orgasmo e morreu, por volta das 22h30. Funcionários da sauna gay e frequentadores do local, entre eles um médico, chegaram a socorrê-lo, mas o cirurgião plástico não resistiu. Quando os bombeiros chegaram ao local, ele já estava morto. Uma assistente do consultório de Eduardo Ramalho e um amigo dele prestaram depoimento e contaram que a vítima tinha problemas cardíacos. A polícia informou que descarta, por ora, a hipótese de homicídio e da prática do golpe conhecido como “boa noite, cinderela” porque esse tipo de delito é geralmente praticado em circunstâncias e em locais diferentes do ocorrido. O cirurgião plástico estava com bens e dinheiro no armário da sauna, que serão devolvidos à família da vítima. A morte de Eduardo Ramalho foi noticiada no sábado pela colunista do iG, Lu Lacerda. O médico tinha um consultório no Rio, na rua Visconde de Pirajá, em Ipanema, área nobre da cidade, e outro em Brasília. A vítima, de família paraense, não tem parentes no Rio. Entre seus melhores amigos estavam Nilga Charmoun, ex-mulher de Germano Gerdau, e o consultor tributarista Luiz Fernando Priolli. Sua lista de pacientes contava com integrantes da alta sociedade carioca, como Zéka Marquez, Neide Fachini, Surama de Castro, Christine Niemeyer e a ex-miss Brasil Márcia Gabrielle.