Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 9 de novembro de 2010

DURANTE VISTORIA, POLICIAIS ENCONTRAM MAIS SEIS CORPOS EM PRESÍDIO NO MA

CHEGA A 15 TOTAL DE MORTOS EM MOTIM NO PRESÍDIO DE SÃO LUÍS. EM OUTRA PENITENCIÁRIA NO MESMO COMPLEXO, REBELIÃO DEIXOU TRÊS MORTOS

São Luís. Policiais militares encontraram mais seis corpos de detentos mortos no Presídio de São Luís, localizado no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão. As vítimas foram encontradas na tarde desta terça-feira (9), durante a vistoria realizada após o fim de uma rebelião que durou 27 horas.
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do estado, o total de mortos durante o motim chega a 15 detentos. Todos foram mortos por outros presos de facções rivais. Cinco agentes penitenciários que eram mantidos reféns foram libertados e passam bem.
Além dos corpos, os policiais militares encontraram três armas.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de São

APÓS 27 HORAS, TERMINA REBELIÃO NO PRESÍDIO DE SÃO LUÍS

Terminou, no início da tarde desta terça-feira (9), a rebelião que durou cerca de 27 horas no Presídio de São Luís, localizado no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do estado, os cinco agentes penitenciários que eram mantidos reféns foram libertados e passam bem.
Ainda de acordo com a Secretaria, a Tropa de Choque está no presídio para fazer uma vistoria no local. Até o momento, foram apreendidos revólveres com munições.
A rebelião no presídio começou na manhã de segunda-feira (8). De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública, nove presos morreram e os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML). Outros cinco presos teriam sido mortos, segundo relatos de detentos rebelados. A informação, no entanto, ainda não é confirmada oficialmente pela Secretaria de Segurança Pública.
O motim teria tido início depois que presos dominaram um agente penitenciário, que foi baleado. O funcionário foi liberado pelos detentos e encaminhado ao hospital.
Os presos reclamam da diretoria do presídio e pedem mais agilidade no julgamento de alguns processos.

CONGRESSO QUER AUMENTAR O PRÓPRIO SALÁRIO E O DE DILMA

Com a volta dos trabalhos no Congresso, deputados e senadores já defendem aumentar os próprios salários e, de quebra, reajustar também o da presidente eleita, Dilma Rousseff, informa reportagem de Andreza Matais e Fernanda Odilla, publicada na edição desta terça-feira da Folha e disponível na íntegra para assinantes do jornal e do UOL.
O "pacote de bondades" planejado pelos congressistas surge no momento em que Dilma orientou sua equipe de transição a tentar barrar no Congresso reajustes para o funcionalismo que impliquem em rombo no Orçamento de 2011.
Eles alegam que os salários do Executivo e do Legislativo estão sem aumento há cerca de três anos e que a inflação no período foi de 17,8%, mas por ora não falam em percentuais.
Para diluir o desgaste político que o aumento pode gerar, os congressistas insistem em mostrar que essa defasagem também ocorre nos salários do Executivo. Eles defendem a vinculação do reajuste do Legislativo ao de Dilma e dos demais ministros de Estado.
Como presidente, ela vai receber menos da metade do que ganhava quando era ministra do governo Lula, período em que aumentou seus rendimentos participando de conselhos de administração de empresas públicas.