Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

PDT QUER O CONTROLE DE DUAS PASTAS NO GOVERNO DILMA, DIZ PAULINHO


Em meio à pressão do PMDB para ampliar a cota de ministérios no governo de Dilma Rousseff (PT), a presidente eleita também vai ter que administrar aliados como o PDT, que deseja aumentar sua participação no primeiro escalão do governo.
O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) disse nesta quinta-feira que o partido quer o controle de duas pastas no governo Dilma, contra apenas uma (Ministério do Trabalho) reservada à legenda na gestão de Lula.
"Nós vamos brigar pelo Ministério do Trabalho e por mais um, não sei qual ainda. (...) O PMDB já tem demais. Se você fizer a conta do PMDB, eles têm 78 deputados. Significa que cada 13 deputados ganham um ministério. E eles têm 14 senadores, ou seja, dois senadores e meio têm um ministério. Nós temos 28 deputados e quatro senadores. Então temos direito a dois [ministérios]."
Paulinho não quis adiantar a pasta na mira do PDT, mas afirmou que o partido deseja um dos ministérios da área social. "Vamos fazer reunião na semana que vem para ver qual ministério o PDT vai reivindicar."
DIVISÃO
Reportagem publicada hoje pela Folha mostra que líderes de PR, PP e PTB já discutem a montagem de um bloco no Congresso para ter mais peso não só na atuação legislativa, mas na negociação por cargos. Para congressistas do PR, a legenda precisa manter o ministério dos Transportes, que é cobiçado pelo PMDB e pelo PT. Mas também falam em crescimento.
A lógica é a mesma no PP, titular do Ministério das Cidades. Dirigentes do partido dizem que até aceitam ceder a pasta que hoje ocupam desde que ganhem outras duas.

EDUARDO CAMPOS AVALIA QUE CPMF PODE VOLTAR 'EM PARTE OU TOTALMENTE'

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), afirmou nesta quinta-feira (4) que considera que a CPMF pode ser recriada, total ou parcialmente, para ajudar no financiamento da saúde. Ele se reúne com políticos eleitos e reeleitos do PSB em Brasília. Na noite desta quarta (3), ele esteve em reunião com o coordenador-geral da equipe de transição de Dilma Rousseff e presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra.
"Se precisar reestabelecer, em parte ou totalmente, a CPMF, vamos fazer isso, porque depois que caiu a CPMF, eu não vi baixar preço de nada", disse. Segundo ele, o retorno do imposto garantiria em torno de R$ 30 bilhões para a saúde, o que mesmo assim não seria suficiente. "Calcula-se que o subfinanciamento da saúde no Brasil chega a R$ 51 bilhões hoje".
Ele ressaltou problemas decorrentes do subfinanciamento. "Ou se discute a questão do financiamento da saúde, ou muitas pessoas vão estar morrendo. Tem municípios fechando serviços públicos por incapacidade de manter, os hospitais mantidos pelos estados estão cada vez tendo mais problemas de financiamento, de superlotação, e essa é uma questão que está na ordem do dia. Nós precisamos discutir, sim, qual vai ser a solução", declarou.
Já Cid Gomes (PSB), governador do Ceará, defendeu a regulamentação da Contribuição Social para a Saúde (CSS). "Nós defendemos que há a necessidade de um financiamento específico para a saúde. E tramita no Congresso Nacional um projeto que regulamenta a emenda 29 e diz qual é a participação de cada ente da Federação, municípios, estados, percentual que deve ser gasto e a União. A União precisa ter um recurso a mais, e esse recurso está lá proposto como a CSS", afirmou.
Segundo ele, a contribuição que seria descontada em transações bancárias é um "sacrificio muito pequeno para boa parte dos brasileiros que usam banco em nome de uma grande maioria dos brasileiros que têm péssimo serviço na área da saúde". Cid Gomes também ressaltou a importância de se fazer uma reforma tributária, por conta da grande quantidade de impostos no Brasil.
Ricardo Coutinho (PSB), governador eleito da Paraíba, também defendeu a CSS, porém com ressalvas. "Eu defendo a regulamentação da emenda 29 e o maior aporte de recursos para a saúde, desde que esses recursos tenham a garantia de que não sairão por outra porta, que eles tenham garantia de repasse para estados e municípios"", afirmou.
Renato Casagrande (PSB), governador eleito do Espírito Santo, concorda que há pouco dinheiro para a saúde, mas defendeu que haja paciência. "Temos que esperar a reunião de governadores com a presidente Dilma. Ela não disse que vai criar, vamos conversar e ver quais são as alternativas. Vamos esperar todos nós assumirmos para que a gente possa tomar uma decisão com relação ao financiamento da saúde, que tem que aumentar", declarou.

ENEM EXIGE DO ESTUDANTE “PREPARAÇÃO DE SÃO SILVESTRE”; VEJA DICAS PARA OS DIAS DE PROVA

Ana Okada
Em São Paulo

Os dois dias de prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2010 vão exigir dos mais de 4 milhões de estudantes inscritos uma "preparação de São Silvestre", a famosa corrida paulistana de fim de ano.
"Comparo [o Enem] a uma maratona, em que o controle da energia é fundamental para o atleta. No Enem também é assim: se ele optar por estudar muito na véspera, vai ficar tão cansado que o que ele ganhou de conhecimento ele vai perder em atenção na prova", explica o professor Marcelo Dias Carvalho, coordenador de matemática do cursinho Etapa. O exame será aplicado no próximo sábado (6) e no domingo (7).

Condicionamento físico garante pontos
Segundo Carvalho, o principal fator de "perda de pontos" no exame é a falta de atenção na leitura dos enunciados, de acordo com pesquisa feita no cursinho. Uma leitura desatenta leva à escolha da alternativa errada, uma vez que, em boa parte das questões, a resposta já está dada na própria pergunta. "Esse é o erro que mais irrita. O antídoto é diminuir o ritmo de estudos. Isso vai aumentar o condicionamento físico e a motivação do aluno, que vai com mais ânimo e energia para a prova", diz.

O segundo fator de perda de pontos na prova, também ligado ao cansaço, é a distração na hora de fazer cálculos. Erros por falta de conhecimento, no Enem, ocorrem com menor frequência, afirma Carvalho. "Nesses dias antes da prova, é importante que o estudante tenha um tempo para ele descansar, relaxar no sentido do equilíbrio emocional. Ir ao cinema, dormir mais horas, ficar com a família, ver TV ou fazer uma atividade que faça bem para ele são fundamentais para o sucesso no Enem", diz.
Dinamismo

Ficar atento ao uso do tempo na prova são algumas dicas do professor Alberto Francisco do Nascimento, do cursinho Anglo. Ele ressalta que a proibição de levar relógio para o exame não deve preocupar os candidatos. "Tem aqueles que são aflitos com a questão do horário. Ideal seria que cada sala tivesse um relógio, mas acredito que eles tenham bom senso; ou seja, farão uma tabela na lousa mostrando que horas são", diz.

Para responder os testes, o professor aconselha os candidatos a serem "dinâmicos", já que haverá três minutos para a resolução e transcrição de cada questão. "Ele tem que ler o enunciado, pensar e responder. A maioria das questões exige interpretação de textos, mapas ou gráficos, então o aluno deve saber interpretar e ser dinâmico. Não adianta fazer aquela leitura devagar", explica Nascimento. No primeiro dia (6), o estudante terá 90 questões objetivas de ciências da natureza e suas tecnologias e ciências humanas e suas tecnologias.

No segundo dia (7) do Enem, haverá 90 questões objetivas de matemática e suas tecnologias e linguagens, códigos e suas tecnologias; e a redação. Para a prova do domingo, Nascimento aconselha os estudantes a não ficarem tempo demais na redação. Ou seja, se fizer a redação primeiro, que não gaste mais de uma hora; ou, se deixá-la por último, que não deixe apenas cinco minutos para fazê-la.

"Tem o aluno que consegue ler o tema, as ideias vem, ele faz rápido [o texto] e ganha tempo. Agora, tem outro tipo de aluno em que as ideias demoram mais para aparecer; se esse aluno resolver fazer a redação primeiro, a ansiedade pode atrapalhar. Então, ele deve começar a fazer a prova primeiro, pois as questões podem dar um 'start' nas ideias para o texto", aconselha o professor.

Energia

O longo período dos exames também exige a reposição das energias durante a prova. Vale qualquer alimento? Os professores aconselham os estudantes a darem preferência à alimentos leves, tais como frutas, e à hidratação por meio de água.

"Como é um tempo longo de prova, é bom que, na metade, o aluno possa levantar um pouco, para ir ao banheiro ou tomar água. Ao levantar um pouco ele já volta com mais foco para a prova", aconselha o professor carvalho.

Antes do exame, o estudante deve fazer uma boa refeição, para que não sinta fome durante o exame. "É como um almoço de hospital. O estudante deve almoçar por volta das 11h para chegar antes das 13h ao local de prova", diz Nascimento.