Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 28 de maio de 2009

DEPUTADO DENUNCIA EM BRASILIA ESCÂNDALO DO CASTELOO DE SARNEY


Julião Amin diz que o presidente do Senado é “um senhor feudal”O presidente do PDT no Maranhão, deputado federal Julião Amin, ocupou a tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília, no início da tarde de ontem, para denunciar que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), escondeu da Justiça brasileira por pelo menos quatro anos, um castelo de sua propriedade, a Quinta dos Lagos, adquirido em Portugal no início dos anos 90. Reportagem sobre o caso foi publicada na edição de domingo passado (24) do Jornal Pequeno. O repórter Oswaldo Viviani ficou uma semana em Portugal apurando o caso.
“Chamo a atenção desta Casa para a gravidade do fato: ser, ou ter sido, proprietário de um imóvel que vale mais de 30 milhões de reais, um monumento à riqueza e à extravagância. Um imóvel que nunca foi declarado como lhe pertencendo. Longe ou indiferente à opinião pública, José Sarney pratica atos que prefere não trazer à luz do dia”, declarou Julião Amin.
Ele observou que a comparação de Sarney a um senhor semifeudal, feita recentemente pela revista inglesa “The Economist”, “ganha um sentido quase literal. Temos em nosso país um senhor feudal, que foi a Portugal se abrigar em um castelo medieval”. Eis abaixo a íntegra do pronunciamento feito pelo presidente do PDT/MA ontem em Brasília:
“Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados. Recentemente esta Casa foi duramente questionada pela opinião pública quando a mídia divulgou que um dos seus parlamentares era proprietário de um castelo avaliado em R$ 20 milhões.
Sem querer entrar no mérito de um fato que atualmente é tratado nas instâncias competentes, chamo a atenção para a descoberta de uma informação de proporções muito maiores, embora guarde paralelos, que veio a público no meu estado, o Maranhão, e deve alcançar as manchetes da imprensa nacional.
Trata-se da informação de que o senador José Sarney teria sido proprietário de um castelo, em Sintra, Portugal. A notícia caiu como mais uma bomba na cabeça dos maranhenses, que hoje convivem com o flagelo das chuvas e uma governadora biônica, empossada por força de uma decisão judicial.
O castelo Quinta dos Lagos é um imóvel de 23.400 metros quadrados de área total, avaliado atualmente em R$ 30 milhões de reais (ou 10 milhões de euros), sem contar o valor histórico. De acordo com a reportagem do Jornal Pequeno, que fez investigações em Portugal, este monumento teria pertencido a Sarney por pelo menos quatro anos. A propriedade nunca foi declarada à Justiça Eleitoral nem à Receita brasileira.
As informações que levaram a essa descoberta foram inicialmente publicadas pela revista portuguesa “Olá”. De acordo com esta revista, José Sarney comprou no início dos anos 90 a Quinta dos Lagos, por meio da Almonde Securities S.A., uma offshore com sede no Panamá, mas que tem os fundos geridos na Suíça.
A reportagem do Jornal Pequeno esteve em Sintra e Lisboa no período de 14 a 22 de abril, e teve acesso, embora restrito, ao registro da transação imobiliária no 1º e no 2º Cartórios de Registro Predial de Sintra. A Quinta dos Lagos teria sido comprada por José Sarney/Almonde de representantes legais de uma certa família Sibourg.
Vizinhos e comerciantes antigos, instalados nos arredores do castelo, garantiram ao jornalista do Jornal Pequeno que pelo menos até 1993 “uns brasileiros da família de um ex-presidente da República” passavam parte do verão europeu na Quinta dos Lagos. A reportagem na íntegra está disponível no site do Jornal Pequeno [www.jornalpequeno.com.br].
Senhor presidente, chamo a atenção desta Casa para a gravidade do fato: ser, ou ter sido, proprietário de um imóvel que vale mais de 30 milhões de reais, um monumento à riqueza e à extravagância. Um imóvel que nunca foi declarado como lhe pertencendo. Longe ou indiferente à opinião pública, José Sarney pratica atos que prefere não trazer à luz do dia. Agora a comparação de Sarney a um senhor semifeudal, feita recentemente pela prestigiosa revista inglesa The Economist ganha um sentido quase literal. Um senhor feudal em seu castelo medieval. Era isso que tinha a dizer. Muito obrigado”.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

DEFESA CIVIL AVALIA ASSITÊNCIA AOS DESABRIGADOS


Desabrigados e desalojados receberam do governo municipal cestas básicas, colchões, roupas e gás de cozinha

O superintendente da Defesa Civil, Francisco das Chagas Silva, fez à reportagem um balanço do trabalho de assistência prestado pelo município aos desabrigados e desalojados da enchente do rio Tocantins e dos riachos que cortam a cidade de Imperatriz.
Chico do Planalto assinala que assumiu o órgão no começo do ano sem nenhuma estrutura deixada pelo governo anterior. “A superintendência existia apenas de direito, pois de fato não constava nada. Nós não encontramos mesas, cadeiras, computadores nem os dados das famílias cadastradas”, disse.
Ele ressalta que o prefeito Sebastião Madeira colocou à disposição da Superintendência da Defesa Civil uma estrutura viável de trabalho para atender à comunidade de Imperatriz. “A intenção do prefeito Madeira é melhorar ainda mais as condições de trabalho da Defesa Civil”, frisou.
Chico do Planalto destacou ainda o apoio do prefeito Madeira às famílias que foram atingidas pelas enchentes do rio Tocantins e que ficaram desabrigadas ou desalojadas em Imperatriz. “Temos trabalhado arduamente desde o último dia 2 de maio em benefício da comunidade, dando total assistência às famílias atingidas pelas enchentes do rio Tocantins”, destaca.
Balanço
Ele afirmou que as famílias ribeirinhas foram deslocadas para cinco alojamentos - Escola Tiradentes, no Bacuri; Escola Frei Tadeu, na Vilinha; AABB, na Avenida Babaçulândia; no Parque de Exposições Lourenço Vieira da Silva, e na Escola Fraternidade - onde receberam assistência de gás de cozinha, filtros, kits de higiene pessoal, kits de limpeza, colchões, kits para gestantes e 450 cestas básicas durante os dez dias que ficaram alojadas.
“O governo municipal também distribuiu remédios, roupas e calçados que foram doadas pela comunidade. Já distribuímos mais de duas mil e quinhentas peças de roupas às famílias desabrigadas ou desalojadas”, destacou. “A prefeitura fez tudo que foi possível para amenizar o sofrimento das famílias que foram atingidas pelas enchentes do rio Tocantins”, ressaltou.
Chico do Planalto assegurou que “os ribeirinhos nunca foram tão bem tratados como agora na gestão do prefeito Madeira, que se empenhou ao máximo para oferecer o melhor à comunidade atingida pelas enchentes”.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

O DONO DE IMPERATRIZ É O POVO, MAS MADEIRA É O SEU LEGÍTIMO REPRESENTANTE, A QUEM O POVO DELEGOU O PODER.



Mudar não é fácil. Nos últimos dias o prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira tem se deparado com questões cruciais que exigem tomadas de decisões. Quase sempre essas decisões desagradam alguns segmentos e ferem interesses.

Na mais recente, envolvendo o Matadouro público de Imperatriz e os marchantes, a decisão do prefeito desagradou um setor que não quer abrir mão de seus lucros, não quer ceder um milímetro para a mudança que o novo governo quer implantar ali, para a Saúde e o bem estar de quase 300 mil habitantes.


sexta-feira, 15 de maio de 2009

DEFESA CIVIL DE IMPERATRIZ E PREFEITO FAZ AÇÕES AOS RIBEIRINHOS


“Desde o instante em que o rio nos desalojou o pessoal da Prefeitura esteve sempre conosco. Não faltou nada. Temos sopa todos os dias; recebemos material de higiene pessoal, cestas básicas, colchões e até gás de cozinha. Só temos a agradecer o empenho do prefeito Madeira por garantir o apoio da Prefeitura nesse momento de dificuldade” disse ontem em entrevista á reportagem a dona-de-casa Noemia Sousa, mãe de sete filhos, abrigada no Parque de Exposições Lorenço Vieira da Silva ao ressaltar o apoio que ela e os demais desabrigados tem recebido da Prefeitura desde que o rio começou a produzir desabrigados.O trabalho de assistência aos ribeirinhos mobilizou, não só a Defesa Civil, mas os diversos setores do atual governo.Muitas famílias atingidas pela enchente do Rio Tocantins chegaram a completar mais de uma semana nos abrigos providenciados pela prefeitura. Apesar das águas do rio terem baixado muitos ainda não tiveram condições de voltar as suas residências. Para preservar a saúde das famílias desabrigadas no retorno para casa a Defesa Civil começou a limpeza e dedetização das ruas e residências.“Na área atingida pela enchente muitas fossas estouraram e é necessário um trabalho intenso de limpeza. Essa é uma tarefa que garante a segurança e a saúde das pessoas que precisam voltar as suas casas”, disse o superintendente da Defesa Municipal, Chico do Planalto, que visita diariamente os abrigos e a Rua Luís Domingues.Enquanto não são autorizadas a retornar para suas casas as famílias atingidas continuam instaladas no Parque de Exposições, Escola Frei Tadeu, Escola Tiradentes, Escola Fraternidade e A..A..B. B.“Não foi a primeira vez que nossa casa foi alagada mas dessa vez achei muito diferente a atenção que foi dada pra nós aqui; já enfrentei essa cheia três vezes e nunca fui tão bem tratada. O posto de saúde aqui foi muito bom, porque pudemos consultar as crianças” contou ela.Maria Simone voltava da Unidade do Posto de Saúde que foi instalado no Parque de Exposições quando encontrou a reportagem. Conversando com a equipe, ela exibia os medicamentos recebidos para o filho que acabava de se submeter a uma consulta médica no posto de saúde montado no parque pela Prefeitura.Tanto a Escola Frei Tadeu quanto os demais locais onde estão alojadas as famílias desabrigadas, receberam constantemente a visita do prefeito Madeira e por diversas vezes da secretaria de Desenvolvimento Social Conceição Madeira. “Nunca vi um prefeito tão presente, ele tem comparecido aqui e está sempre preocupado com o nosso bem estar,” disse Helena Alves que está alojada na escola com os quatro filhos.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

SUCESSO ABSOLUTO DOS SUPLENTES NA CCJ DO SENADO


O trabalho dos que se encontram diuturnamente em Brasília, defendendo os interesses dos Vereadores Suplentes até o momento foi estupendo, de muita garra e obstinado. Ademais o espírito público demonstrado por vários Senadores da República que integram a CCJ foi determinante para que conseguissemos a aprovação, por unanimidade, da matéria de nosso interesse, no caso, a questão do repasse de verbas das prefeituras para as câmaras municipais.O entendimento entre suas Excelências Aloisio Mercadante, Sérgio Guerra, Casagrande, Lúcia Vânia, Valter Pereira, Valadares, Wellington, Marco Maciel, enfim todos os integrantes da CCJ que presentes, votaram, uniformemente, demonstra sensibilidade para com a democracia participativa que tão bem é representada pelos vereadores, assim como reafirmação da supremacia do Congresso Nacional para legislar, de forma especial, no tocante a questão política.Gostaria de finalizar dizendo aos colegas vereadores suplentes que vencemos mais uma batalha!? Mas a guerra... Só depois do apito final, então: "LUTAR SEMPRE, VENCER... TALVEZ, PORÉM... DESISTIR JAMAIS!!!".

DEFESA CIVIL DE IMPERATRIZ EM AÇÃO


Defesa Civil já registra 150 famílias desabrigadas
Doações poderão ser encaminhadas ao Banco de Alimentos, na Avenida Babaçulândia, no Entroncamento

A Superintendência Municipal da Defesa Civil de Imperatriz concluiu ontem (6) levantamento que aponta 150 famílias desabrigadas desde o último sábado (2) pelas enchentes do rio Tocantins. O nível do rio está nove metros acima do leito normal.
As famílias estão alojadas nas escolas Pedro Abreu, na Vilinha; na Tiradentes, no Bacuri; no Parque de Exposições Lourenço Vieira da Silva, na margem da rodovia na BR-010; na Escola Fraternidade e ontem a prefeitura arrumou a sede da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), localizada na Avenida Pedro Neiva de Santana.
O prefeito Sebastião Madeira, acompanhado da primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social (Sedes), Conceição Madeira, visitou ontem à noite as famílias que estão nos abrigos da Prefeitura de Imperatriz. Na ocasião, com a ajuda da Defesa Civil, foram distribuídas sopa e cestas básicas.
Madeira mobilizou todo o governo municipal para dar assistência às famílias atingidas pelas enchentes do Tocantins. A “força-tarefa” conta com a participação de profissionais nas áreas da saúde, da ação social e da defesa civil.
O prefeito informou ainda que um imóvel localizado nas imediações da “Estrada do Arroz” também será utilizado para abrigar as famílias. “O nosso governo está dando total assistência às famílias, mas precisamos da ajuda dos governos estadual e federal e da própria população”, disse.
Segurança – O superintendente da Defesa Civil, Francisco das Chagas, o Chico do Planalto, solicitou ontem ao tenente-coronel Zanoni Passos, comandante do 3º BPM (Batalhão da Polícia Militar), sediado em Imperatriz, que sejam feitas rondas para garantir segurança às famílias que estão nos alojamentos da prefeitura.
Doações - A Superintendência Municipal da Defesa Civil fez um apelo para que a população possa colaborar com a doação de alimentos. Os interessados podem entregar as doações na sede do Banco de Alimentos, localizada na Avenida Pedro Neiva de Santana, no antigo “Mercadão do Povo”, no setor Entroncamento. (Comunicação)