Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Defesa Civil atualiza cadastros de famílias ribeirinhas



A Defesa Civil de Imperatriz já começou a atualização do cadastro das famílias ribeirinhas. O processo foi iniciado ontem (4), no bairro Curtume. Este é um trabalho é preventivo, que tem o objetivo de fornecer dados exatos sobre as condições das famílias que vivem nas regiões próximas ao Rio Tocantins.
O trabalho é realizado desde 2009. Nos anos anteriores, com a chegada do período de inverno e o aumento do nível do rio Tocantins, muitas casas acabaram sendo invadidas pela águas. A Prefeitura de Imperatriz utilizou, então, os dados deste cadastro para preparar os alojamentos.
O coordenador da Defesa Civil, Francisco das Chagas Silva, o Chico do Planalto, explica que a atualização do cadastro tem o objetivo é retirar os moradores do local com eficiência, caso seja necessário fazê-lo durante o inverno. “Esse cadastro é de suma importância para que possamos fazer o planejamento, já buscando dar toda a estrutura para uma possível retirada daquelas famílias”, argumenta.
O levantamento aponta que o número de famílias que vive no local também vem diminuindo. Em 2009 foram cadastradas 520, contra 490 no ano passado. A expectativa é que o mesmo aconteça em 2012.
Após a conclusão do cadastro no Curtume, as equipes vão realizar o mesmo trabalho no bairro da Caema, na Vila Leandra e na região da Beira Rio.



Desabrigados



Chico do Planalto também garante que a atual gestão tem tratado os desabrigados com maior atenção do que acontecia em anos anteriores. Segundo ele, hoje os alojamentos dispõem de atendimento médico e farmácia. Além disso, a Prefeitura também oferece cestas básicas e, com a normalização do rio, o município também providencia o retorno das famílias as suas casas. Durante a permanência no local, também há transporte para as crianças em idade escolar.
O coordenador destaca o empenho do município em dar condições, mesmo com a dificuldade de conseguir apoio para financiar estes serviços. “Tudo isso é pago pela própria Prefeitura. Nós já recebemos medicamentos do Governo do Estado. Já recebemos toalhas, mosquiteiros filtros e outros itens semelhantes do Governo Federal. Somos muito gratos pela ajuda que estas esferas nos dão. Mas nunca recebemos recursos para arcar com estas despesas”, garante o coordenador.
Mesmo com as poucas chuvas que caem sobre a cidade de Imperatriz, a Defesa Civil já fiscaliza com maior cautela o nível do rio Tocantins. A preocupação é justificada pelo maior rigor do inverno com outras regiões do país.
O nível do rio Tocantins é diretamente afetado pelas chuvas que caem em seus afluentes e nos reservatórios das usinas hidrelétricas de Serra da Mesa, em Goiás; de Tucuruí, no Pará; de Lajeado, no Tocantins; e de Estreito, no Maranhão. Em algumas destas regiões, as chuvas já caem com grande intensidade.
A expectativa da Defesa Civil é que não seja necessário remover os ribeirinhos durante o inverno. O órgão, no entanto, prepara-se com antecedência para não ser pego de surpresa. (Comunicação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário