Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Prédio do Imperatriz Shopping é fiscalizado pela Defesa Civil pelo CREA e Corpo de Bombeiros







Domingos Cezar


A recuperação e ampliação do prédio do Imperatriz Shopping têm chamado a atenção das pessoas que ali residem ou trabalham, principalmente depois da queda de três edifícios no Rio de Janeiro e da parte de outro edifício, em São Bernardo do Campo (SP). O Imperatriz Shopping abriga lojas, supermercado, academias e todo o segundo andar é ocupado por secretarias da Prefeitura Municipal, inclusive a Superintendência de Defesa Civil.


Duas empresas trabalham diariamente no prédio, que segundo o engenheiro Luciano Davanso Pechoto, está sendo ampliado em seu 12º andar e está sendo recuperado do a partir do 7º andar, recebendo desta forma enorme peso de materiais de construção, principalmente tijolos e cimento. A parte superior do edifício que era aberta, agora está sendo aproveitada com a construção de novos apartamentos, o que deixa as pessoas com receio, ou medo.


Atendendo solicitação da Superintendência de Defesa Civil uma comitiva composta pelo engenheiro Luciano Davanso, Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sepluma) o presidente do Sindicato da Construção Civil, Washington Luis, representantes do Corpo de Bombeiros e do Conselho Regional de Engenharia (CREA), esteve na manhã desta segunda-feira (13) fiscalizando as obras e cobrando explicações do engenheiro responsável.


De acordo com o engenheiro Luciano Davanso, que representou o CREA, toda vez que se precisar fazer uma intervenção no prédio, seja recuperar ou ampliar é necessário que seu proprietário legalize junto ao CREA “desde a segurança do trabalho, quanto à questão estrutural do prédio”, orienta o engenheiro. Davanso garante que o Conselho vai cobrar a documentação necessária, bem como, a responsabilidade técnica.


Por sua vez, o superintendente de Defesa Civil, Francisco das Chagas, o Chico do Planalto, que também trabalha no 2º andar do edifício informou que os responsáveis solicitaram dos órgãos competentes a licença para realizar uma reforma, “mas como nós constatamos, eles estão é construindo e ampliando o prédio”, confirma Chico do Planalto. Ele informou ainda, que o Corpo de Bombeiros notificou as empresas, que não apresentaram o plano de prevenção de risco de acidente.


O superintendente de Defesa Civil também informou que os operários trabalham sem a devida e necessária proteção, razão porque a obra vai receber ainda a visita de fiscais do Ministério do Trabalho. “Encontramos no último andar material de construção, principalmente tijolos e cimento em grande quantidade”, afirmou Chico do Planalto, ressaltando que os extintores precisam ser renovados, pois muito deles estão sem condições de uso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário