Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 10 de setembro de 2013

CESTE EXPLICA SOBRE OSCILAÇÕES DO RIO TOCANTINS

Nesta terça-feira (10), em uma coletiva de imprensa, o gerente do Consórcio Estreito Energia (Ceste), João Resek, esclareceu os motivos que levaram à oscilação do Rio Tocantins e, consequentemente, à redução da temporada de praias na Região Tocantina. Na ocasião, estiveram presentes, o superintendente da Defesa Civil, Francisco das Chagas e o representante do 3º GBM de Imperatriz, Major Leandro.

O gerente da Ceste, João Resek, explicou que o aumento no nível do rio foi em decorrência a uma decisão do ONS (Operador Nacional do Sistema). Uma vez que todas as hidrelétricas do país são interligadas e a usina respeita o ciclo da região.
“Tanto em período de chuva quanto de seca haverá o aumento da vazão, porque a hidrelétrica é uma usina de fio d´água e está conectada no Sistema Nacional. Em razão do apagão que ocorreu no dia 28 de agosto no nordeste houve a necessidade de aumentar a geração de energia para atender a demanda, e consequentemente, houve um aumento na vazão das turbinas da hidrelétrica de Estreito”, explicou o gerente.
João Resek, explicou ,ainda, que no fim de semana o consumo de energia cai em todo o país e a hidrelétrica de Estreito armazena água, com isso o nível das águas diminui e as praias da região reaparecem.
O superintendente da Defesa Civil, Francisco das Chagas, disse que não tem como prever quando o rio irá aumentar o nível e que os imperatrizenses têm que se adequar à nova realidade vivenciada no período de veraneio. “Nós temos que nos adaptar à nova realidade do Sistema, até, porque é Nacional. O fim do período veraneio não é culpa do município e da Defesa Civil, mas estamos acompanhando todo o processo para garantir a segurança dos banhistas”, afirma o superintendente.
O superintendente garantiu, ainda, que será mantida toda a estrutura para o lazer dos banhistas: os guardas-vidas, a área demarcada, energia elétrica, limpeza, Samu, Corpo de Bombeiros, Setran, enfim toda estrutura, menos o palco. “As pessoas precisam ter a compreensão e respeitar quando avisarmos que terá um aumento das águas no rio Tocantins por uma questão de segurança”, finaliza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário