Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 5 de novembro de 2013

AVENIDA BEIRA RIO SOB O OLHAR DO MINISTÉRIO PÚBLICO

Hemerson Pinto (Jornal oprogresso)

Quem visitou a Avenida Beira-Rio nas noites do sábado (02) e domingo (03) se deparou com equipes da Defesa Civil do Município de Imperatriz acompanhadas de policiais militares. O objetivo da visita, segundo o superintendente do órgão, foi registrar em fotos tudo o que possa comprometer a imagem de um dos pontos mais frequentados da cidade, causar constrangimento ou afetar diretamente, ou indiretamente, o meio ambiente.
“Esse material vamos usar para preparar um laudo que vai ser encaminhado para o promotor de Justiça de Meio Ambiente, Jadilson Cirqueira, que foi quem nos solicitou, por meio de um documento, a realização desse trabalho. Em obediência à recomendação, fizemos uma visita e registramos em fotos mostrando toda a realidade daquele setor”, explica o superintendente da Defesa Civil, Francisco das Chagas.
O superintendente destacou algumas situações observadas pelas equipes e que, de acordo com ele, merecem atenção da justiça: “Agressão ambiental do rio e das próprias lagoas; passeio público cheio de obstáculos como mesas e cadeiras, impossibilitando a passagem de pedestres; venda de bebida alcoólica para menores, assim como o consumo por parte desses adolescentes; venda e uso de entorpecentes; poluição sonora altíssima; atos obscenos e virou um motel a céu aberto”, declara Francisco das Chagas, afirmando que a equipe ouviu depoimentos de pessoas relatando sobre práticas sexuais no local.
O ofício expedido pela 3ª Promotoria de Justiça Especializada da Comarca de Imperatriz, Meio Ambiente e Educação à Defesa Civil solicita, in loco, uma vistoria na Avenida Beira-Rio, detalhando que o trabalho deve ser feito especificamente nas áreas externas das duas lagoas e no trecho da avenida, localizado ao lado da praça, onde são instaladas as barracas de comidas, com o objetivo de flagrar algumas das situações citadas aqui anteriormente.
Exatamente no local indicado para a operação, a Defesa Civil encontrou no primeiro dia de visita 35 veículos com os sons ligados ao mesmo tempo. No domingo, o número aumentou para 45, dificultando ou impedindo a passagem de pedestres nos passeios públicos da Avenida Beira-Rio, 47 jogos de mesas, totalizando 188 cadeiras, segundo a afirmação de Francisco das Chagas. Apesar de a área vistoriada ser de responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente, a determinação do Promotoria de Meio Ambiente foi dirigida à Superintendência da Defesa Civil.


  





4 comentários:

  1. o negocio eo seguinte como o povo de imperatriz gosta de se diverter e tem pouca opção pra isso aqui em imperatriz o prefeito junto com o orgão do meio ambiente tinha que disponibilizar um lugar de lazer para quem gosta de som automotivo, e também não adianta julgar ninguém dizendo que tão poluindo o rio com latas etc..., se vcs não fazem a parte de vcs de colocar lixeira no local, e no meu ponto de vista o lado da lagoa no interfere em nada apesar de ser um publico jovem que anda por la, para isso ficou o lado da praça para passar com familia, e msm que venha reclamar dizendo que o povo de familia no anda la por causa das farras, eu tinha certeza que o povo de familia no i andar ali nunca devido não tem segurança no local e ser escuro e não tem nenhuma forma de lazer para o publico com familia, então ali so serve para os jovem ali ta faltando msm so uma organização, que nem na AABB, porque ali sim ta sustentando muitos pais de familia que vendem suas mercadorias, e pode ter certeza todos tão satisfeitos!

    ResponderExcluir
  2. Se tirar os trabalhadores dali, como eles vão viver ??? como vão sustentar suas famílias, hoje em dia beijar na boca é se prostituir ?, deviam era caçar o que fazer, cade o dinheiro da obra seu prefeito, que você não termina nunca em ??? por que agora em imperatriz quase todo dia morre alguém, porque vocês não vão procurar bandido, como o amigo ai em cima falou, ali não interfere nada o lado da lagoa, por que ficou a praça para as familias passear, é de tal forma que os lanches ficam lá, e não na lagoa, disponibilizem então um lugar apropriado para os sons, para que possam brincar a vontade, vocês são todos uns palhaços, isso sim...

    ResponderExcluir
  3. MP e Defesa Civil não estão tendo trabalho mesmo...
    tantas mazelas na cidade, lugares precisando urgente de apoia da defesa civil do MP e eles preocupados com a beira rio?
    Falam q la é local de Família... me diga qual a família que vai com o seu filho ou filha 2 da madruga, 3 horas?
    os carros de som não estão la todos os dias ñ... ha um espaço para as Famílias na praça, por isso é que eu apoio os movimentos nas Ruas, por isso eu apoio a quebradeira que fazem pq se não as houvessem não teriam a repercussão que tem...

    ResponderExcluir
  4. O seguinte é esse: Quem mora na Av. Beira Rio, sabe muito bem o que está acontecendo por lá, pessoas estão indo pra lá com seus carros de som altissímos, quebrando a regra da Lei do Silêncio, sem falar nos menores de idade ingerindo bebida alcóolica, assaltos á mão armada, pessoas semi-nuas praticando sexo em via pública, venda de drogas, encontros de hackers, até denuncias de policiais recebendo propina para acobertar tudo aquiloo...outra coisa é que os donos dos estabelecimentos que se dizem ´´bares´´(ressaltando que nenhum possuem alvará de funcionamento, e aproveitando-se disso sentem-se donos da Beira-rio) usam as passarelas que estão sendo revitalizadas para por mesas e cadeira, fazendo com que os pedestres tenham que andar pelo meio da rua, correndo o grande risco de acidentes....e outras infinitas irregularidades que acontecem por lá...Os moradores de lá, não estão tendo mais nem sossego....Aquele lugar, assim como em todos os outros da cidade, precisa ter disciplina e segurança... Isso sim, chamará a população a visitar a Avenida...

    ResponderExcluir