Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 18 de setembro de 2011

Polícia prende dois acusados de assassinato de extrativistas no PA

Jose Rodrigues Morreira (camiseta azul) e seu irmão Lindonjonson Silva Rocha (de laranja) ao chegarem em Belem (PA), transferidos de helicóptero da cidade de Novo Repartimento, onde foram presos (foto: Tarso Sarra)

casal morto a tiro na entrada do Pará



Operação das Polícias Civil e Militar do Pará prendeu neste domingo (18), em Novo Repartimento, dois homens acusados de envolvimento na morte do casal de extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo Silva.

Os ambientalistas foram mortos por tiros de espingarda em uma emboscada ocorrida em maio deste ano, na estrada de acesso ao assentamento Praialta Piranhanheira, em Nova Ipixuna.

José Rodrigues Moreira, 43 anos, considerado o mandante do crime, e seu irmão, Lindonjonson Silva Rocha, 29 anos, estavam escondidos em uma casa na zona rural de Novo Repartimento desde que a Justiça decretou a prisão de ambos, em 20 de julho. Eles foram denunciados pelo Ministério Público.

De acordo coma Polícia Civil, os irmãos resistiram à prisão. Com eles foram encontrados três revólveres calibre 38, uma espingarda, 15 cartuchos de munição e documentos. Os dois foram encaminhados para Belém, onde vão aguardar vaga no sistema prisional do Pará. A polícia ainda busca um terceiro envolvido, que segue foragido.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, José Rodrigues Moreira era trabalhador rural e foi apontado no inquérito policial como o mandante da execução de José Cláudio da Silva, após conflito envolvendo lotes de terra no assentamento Praialta Piranheira.

Lindonjonson e o terceiro participante organizaram a emboscada que culminou na morte dos extrativistas, segundo a polícia. Eles devem responder pelo crime de homicídio duplo.

Um comentário:

  1. Xico,isto é briga de vizinhos que são bandidos.Não existe entre assentados gente que quera produzir,pois a grande maioria está lá para fugir de algum problema,as vezes até policial/judicial,que tiveram na cidade.
    Existe uma estatistica do MPE guacho, que dez que 80% do povo que passa fome ou está em condição de perigo alimentar,está na zona rural,incluido os assentamentos/acampamentos,e somente 20% da população brasileira e que mora fora das cidades.Eles não são sem terra,eles são sem patrimonio,sem profissão,sem qualquer preparo laboral,em suma são escoria humana,produzidos pela igreja catolica,que não permite o planejamento familiar.Deveria era mandar todas estas crianças para as casas paroquiais,pois os padres e bispos são os grandes responsaveis por esta situação.Pastor Thomas Malthus

    ResponderExcluir