Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 5 de junho de 2012

Flávio Dino e PCdoB estão completamente perdidos,ou há algo entre o planalto e a planície que não sabemos?

Em 8 de maio escrevi que o PCdoB e Flávio Dino, com o incentivo a várias pré-candidaturas para delas sair um único candidato a prefeito de São Luís, haviam feito um nó difícil de desatar (o texto pode ser revisto aqui). Parece que aquela opinião prossegue válida.

Os defensores da tese argumentam que o processo é democrático, tem idas e vindas, protelações e realmente não é fácil etc etc. Ok, ninguém contesta isso. O problema – um dos – é que gera expectativas e, como não poderia deixar de ser, frustrações. O que, por sua vez, leva a rachaduras.

O PCdoB e Flávio Dino têm culpa nesse cartório. Flávio Dino porque até o momento não tem mostrado segurança na escolha. O PCdoB porque finge amar o processo, mas no fundo não só gostaria como tem feito de tudo para o candidato a prefeito de São Luís seja Flávio Dino. (Entre parênteses, registre-se: quando o processo parecia caminhar para bom termo, o PCdoB jogou o PRTB no colo de Eliziane Gama (PPS), e voltou a embolar o jogo).

O próprio Flávio Dino, há pouco, em entrevista ao IG (o leitor pode rever aqui), disse que esperava que tudo corresse bem para não ter que ser o candidato. (Entre parênteses, registre-se de novo: Flávio Dino só concede entrevista no planalto, para a planície envia cartas; algum assessor deveria alertá-lo para o equívoco).

A coisa está sendo feita de maneira tão amadora (no sentido ruim da palavra, claro), que hoje, véspera do último dia para Dino se desincompatibilizar do cargo de presidente da Embratur, caso deseje se candidatar a prefeito, há uma tensão no ar. Vai ou não se desincompatibilizar? Eis a pergunta que ronda as cabeças não só dos pré-candidatos como também das pessoas que seguem o comunista. Essa incerteza é boa? Claro que não.

Para embolar ainda mais o meio-campo, José Reinaldo Tavares (PSB) aceitou participar do Governo Castelo (PSDB). Tavares defende a tese de que todos deveriam se aliar ao prefeito de São Luís. No mínimo, espera um acordo tácito entre Dino e Castelo. Bom, esse jogo de incertezas, de empurra-empurra faz pensar o quê? Pois é…

É aguardar pela próxima terça-feira, quando haverá nova rodada entre os pré-candidatos, tendo à frente o resultado e a análise da pesquisa qualitativa.

Postado em Política, por Roberto Kenard


Assuntos: eleiçõe

Nenhum comentário:

Postar um comentário